segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Gankutsuou


Eu disse que iria começar a indicar animes, filmes e livros aqui. E começarei com um dos que eu mais amo S2 Gankutsuou (E Sim, só pararei de falar dele até o maior numero de pessoas que eu conheço tiver assistido uú') Gankutsuou é uma versão futurista do romance O Conde de Monte-Cristo. O Anime começa quando Albert e seu melhor amigo Franz vão passar o carnaval em uma estação na lua, e em meio a todas as festas e euforia encontram um homem misterioso de que todos da alto sociedade passaram a comentar pela repentina aparição ao mundo. Albert acaba por conhece-lo pessoalmente e se encanta pelo ser que o Conde de Monte-Cristo é. A historia se desenrola quando o conde aceita um convite de visitar o rapaz em sua casa na França, e uma sequencia de situações estranhas começam a acontecer.

Eu não sou boa em Sinopses, então eu deixo aqui dois links para download da série. Vale a pena ver.
Gankutsuou - Hinata Sou
Gankutsuou - Kazen

Beijinhos =* Até a próxima!=D

domingo, 14 de novembro de 2010

Projetos

Estou com um projeto para um HQ. Alguma boa alma que saiba desenhar poderia me ajudar?=D Não faço por fins lucrativos, logo também não posso prometer remuneração XD Apenas diversão =D Bom, acho que era só isso >_>''' Obrigada pela atenção (se é que alguém lê isso XD)

Ps: Conterá cenas Ecchis!=D

Anime Family

Momento divulgação do blog.
Para os cariocas que querem ir no Anime Family, trago agora o endereço, as datas, os preços e mais algumas coisinhas!=D

Infelizmente o site este ano não tem a lista de pontos de referencia e de onibus para guiar o pessoal, e eu também não sei de cabeça como ajudar muita gente XD Sorry. Mas aos que puderem me encontrar pra perguntar, damos um jeito de descobrir =D

Mais informações no site do Anime Family.


Local: Colégio Nossa Senhora Rainha dos Corações.
Av. Geremario Dantas, 769. Jacarépagua - Rio de Janeiro
Das 11:00h às 19:00h
Ingressos Antecipados R$ 13,00
Ingressos na Porta R$ 15,00


Postos de Venda Antecipada

>> TIJUCA
Yázigi
Rua Genneral Roca, 818, Rio de Janeiro, RJ
Tel : (21) 38722321

>> CAXIAS
Planeta Anime
Mercado Municipal (próx. teatro Raul Cortez)
Av. Presidente Vargas,187, Quadra 1, lj 2 –
Duque de Caxias - Centro - RJ. - Tel: 3673-7500

>> CENTRO
Gibiteria e Barbaras Magias
Av. 13 de Maio, 33, 418
Tel.: (21) 2262-1483

>> MESQUITA
Loja Leli Games
Rua Bahia, 352, Loja 1
Bairro Juscelino
Próximo ao Colégio Castelo Branco
Tel.: (21) 2697-1194
Tel.: (21) 8524-5207
Aberto todos os dias das 10:00hs às 22:00hs

>> MADUREIRA
Shopping Polo 1 - Loja Alleyrock
Estrada do Portela - nº99 loja 244

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Filmes brasileiros me dão medo!


Principalmente aqueles que não são feitos para serem assustadores, acabam sendo os piores! Eu juro, o filme tem uma sinopse "feliz"/"comum", e de fato, por boa parte do filme é so putaria e briguinha de casal/desilusões amorosas. Mas tem umas cenas, que eu juro que pelo impacto que tiveram em mim, eu ainda não consegui compreende-las direito. Cenas curtas e relativamente poucas, mas que me assustaram e me deixaram com medo no cinema. Eu não estava sozinha (estava desacompanhada mas - para meu espanto - eu não era a única na sala. tinha até bastante gente.) e ainda assim, fiquei com medo, me senti extremamente desconfortavel. Está tarde, e não vou me prender a detalhar o filme. Posto aqui algo mais detalhado dele amanha. Apenas digo, fiquei com mais medo do "A Suprema Felicidade" do que dos posts do Medo B... E como diria a equipe. Bons pesadelos...

Minha criatividade voltou das férias!

Estou sobrecarregada de trabalhos da faculdade, mas ainda assim vou explodir se não escrever logo.
Começarei a mexer mais aqui durante as férias.
Mais musicas, Indicações de animes, mangás, filmes e livros (Pão, tirei isso de tu =D) E, se tudo der certo, começarei a escrever meus Contos esquizofrenicos!!!!*_* Estou tentando cria-los a tempo mas tem dois que estão quase quebrando a minha cabeça por dentro pra sair!
Esse feriadão estarei me dedicando a quitar todo e qualquer trabalho que falte que eu tenha que fazer sozinha e adiantar os demais. Se eu acabar tudo antes do tempo eu vejo se consigo escrever algum conto ou pelomenos persuadi-los a ler MPD Psycho!Mwhahahahah

Bom, por enquanto é só pessoal!=D

sábado, 6 de novembro de 2010

Notre Dame de Paris

Definitivamente, quero ver isso ao vivo um dia i.i É TÃO LINDO S2
Agradecimentos especiais a uma criatura que aparece raramente pelo meu msn =D Não sei se ele sabe o quanto acertou em me mandar uma musica disso aqui XD
Tem muito mais videos disponiveis no youtube, peguei apenas as musicas que eu mais gostei ^~ Fica a dica pra quem gosta de musica e boa historia =D























sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Me perdi na queda da Torre de Babel

Ou eu falo outro idioma que NINGUÉM é capaz de entender com clareza, ou eu realmente devo ficar sozinha. As pessoas que me cercam me deprimem todas as vezes que eu abro a boca e vejo que não sou capaz de me comunicar efetivamente com eles ¬¬'

Diferenças entre meninas e mulheres.

Texto abaixo Cop Colado de algum blog. Mas são TANTOS os blogs que eu já li isso que eu realmente não lembro qual foi o que eu roubei e salvei no meu pc originalmente.

Coloco já sem acreditar muito que será útil. Acredito que não falo com muitas meninas. Mas se por algum acaso elas saibam se passar por mulheres, fica a dica o crescer com essas pequenas comparações.











As meninas pensam que sua felicidade depende de ter um homem ao seu lado.
As mulheres sabem que sua felicidade não pode depender de uma só pessoa.

As meninas querem controlar o homem em suas vidas.
As mulheres sabem que se o homem é realmente seu, não há necessidade de controlá-lo.

As meninas pensam que um homem deve de ser muito valente.
As mulheres sabem que os homens que presumem sê-lo, resultam ser muito covardes.

As meninas roubam o homem de outras sem importar o sofrimento alheio.
As mulheres sabem que há suficientes homens livres para todas.

As meninas esperam que os homens voltem.
As mulheres não recolhem o que outras já pisaram.

As meninas pensam que os homens vão mudar.
As mulheres já se deram conta de que jamais será assim.

As meninas têm medo de ficar sozinhas.
As mulheres utilizam-no como tempo para seu crescimento pessoal.

As meninas ignoram os bons homens.
As mulheres ignoram os maus.

As meninas fazem com que ele volte para casa.
As mulheres fazem com que ele queira voltar para casa.

As meninas deixam sua agenda aberta e esperam que seu homem fale para fazer planos.
As mulheres fazem seus planos e carinhosamente notificam aos homens para que eles se integrem como melhor lhes convenha.

As meninas monopolizam o tempo de seu homem.
As mulheres dão-se conta de que um pouco de espaço, faz do tempo juntos algo mas especial.

As meninas acham que um homem que chora é débil.
As mulheres oferecem seu ombro e um lenço.

As meninas lastimadas por um homem, fazem que todos os homens paguem por isso.
As mulheres sabem que foi só um homem.

As meninas apaixonam-se e perseguem sem descanso.
As mulheres sabem que algumas vezes o que tu amas, não te amará e continuam seu caminho sem rancor.

Criancinhas só assadas, com molho e batatas.


Como diria meu antigo professor de História, eu Amo crianças. Assadas com bastante molho e batatinhas para acompanhar.

Mas diferente dele que odeia o grito dos pequenos, o que me incomoda é a pirraça. Dos grandes.

Crianças tem que ser educadas, ensinadas a viver em sociedade. Nem todos os seus desejos podem ser atendidos e as vezes o problema é apenas a hora.

Agora, numa criança, aceitamos. Ainda não aprendeu.

O problema surge quando a criança não é ensinada adequadamente, por N motivos, e cresce continuando uma criança.

Alguém que já não é mais uma criança, faz um escândalo por pouco, e pensa em se suicidar porque é Incapaz de viver sem atenção e inútil para se dar o valor devido, é pra mim, uma criança.

Uma criança mimada, que porque não tem mais aquele brinquedo, vai chorar e fazer o mundo parar para lhe dar atenção até ter aquele brinquedo de volta.

Essas crianças eu não tenho paciência NENHUMA.

Período de luto são normais na vida humana. Perdeu um namorado, um emprego, um bicho de estimação e até mesmo um parente que veio a falecer, é perfeitamente normal um período mais frágil e triste. É SAUDAVEL viver esse período de luto, não é sinal de fraqueza.

Agora, é um período, não a vida inteira. Segundo, é a sua dor, não pode expandi-la para os demais. Terceiro, nos casos mais leves, como o primeiro que citei, é IMPERDOÁVEL ao meu ver se humilhar e implorar que a pessoa volte.

É a comprovação da falta de amor próprio, e que se eu não disse antes, direi agora, sem ele você não sabe o que é amar.

Sem ele, você não só não sabe o que é amar, como ninguém vai poder te amar. Ninguém vai chegar a sacia-lo porque você não sabe como se saciar e não se satisfaz de você mesmo(a.), E COBRA DOS OUTROS QUE SACIE A SUA PRÓPRIA AUSÊNCIA!

E essa ausência, jamais será saciada, e se cobra mais, e se deixa de ser amor e passa a ser um vicio de companhia, uma necessidade, uma obsessão, e, como tudo que é MUITO, acaba. Ninguém agüenta uma criatura vampirizando sua atenção e suas energias.





Respirei,

Depois desse chilique, ataque de pelancas, espero que estejam todos avisados e que isso tenha sido de alguma utilidade para alguém. Por que eu juro, se alguém vier de criancice pra cima de mim, vai virar jantar da Mei e da Sophie ¬¬’

Apresento aqui, minha carta de demissão.


Uma das coisas que mais me irrita (Se não a mais), e que mais me machuca, é simplesmente a minha inexistência.

Grito, berro, pulo os muros do meu castelo, arranco os meus espinhos e acolho de braços apertos as pouquíssimas pessoas que REALMENTE me importam.

Mas pra quê?

Todas as vezes sou ignorada. Minha palavra em outros tempos é dita como a mais importante pra elas, que eu sou o porto seguro, que eu sou o tudo. Porém, na hora que realmente a tempestade vem, elas simplesmente me ignoram. Fecham os ouvidos e olhos pra mim e seguem como se eu não existisse.

Me incomoda e me fere. Não sou louca para falar algo do qual eu não ache que tem importância na melhora de alguém, principalmente para alguém que dizia que eu era importante também, mas que na hora da verdade eu tenho uma importância tão significativa quanto uma maria-sem-vergonha de algum jardim alheio, ou um trevo de três folhas.

Eu não sou House, mas não gasto minha saliva a toa. Posso errar, sou humana afinal, mas se falo e me esgoelo é porque acho que vale a pena e que É SIM para o seu bem e o seu crescimento.

Começo a pensar desde já na minha demissão no cargo de psicóloga. Não consigo ser ouvida nem mesmo por alguém que me importa e que diz que eu sou importante, quem dirá um estranho que nunca me viu na vida.

Não vou falar aquilo que quer ouvir, a não ser que o que queira ouvir SEJA DE FATO o certo.

Então, sem mais delongas. Aqui está a minha carta de demissão apresentada aos pacientes que queriam o meu ombro para chorar.

Não existo mais.

Passar bem =D

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Vamo Marieta!


Isso, limpa tudinho *Inutil demais para limpar o próprio blog, apela para as empregadas alheias.*
Eu definitivamente tenho que andar com isso aqui. Até mesmo porque eu esqueço disso, eu esqueço os outros blogs =D e descubro com mt atraso algumas coisas....*Apanha*
Sorry.

Voltei por motivos que não interessam os leitores *Apanha mais ainda.*
Ok, voltei porque me preocupo com uma criaturinha chata, irritante, que a cada chilique Mei tem vontade de arrancar o couro com as unha (e olha que aquela viada gosta pacas das unhas), e outra porque quando eu falo ela se esquece de me dizer alguma coisa IMPORTANTE, ou, não quer me contar =D muito bom, vou matar as duas. ^^
E por enquanto é só pessoal =D

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Secrets - OneRepublic





I need another story

Something to get off my chest
My life gets kind of boring

------------------------------------------------

As coisas agora não parecem mais tão interessantes. Eu só quero que essa semana não exista, e passemos ao que realmente importa.
Sei que as intenções são as melhores, mas com certeza deram um banho d´água fria na minha animação de começo de aulas.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Olhos


(Sim, este par de olhos ai em cima são meus mesmo.)

Sei que não interessa a ninguém saber, mas aos que repararam no post anterior é sim, eu tenho fetiche, tesão, loucura ou o que vocês quiserem chamar por Olhos. Sei que significam muito e sei também que os olhos são capazes de mentir (alias, as pessoas são, só que nem todas conseguem ir tão longe assim.) Mas amo. Amo as cores, os formatos e as expressões. Um olhar pode ser uma folha sem nada como pode ser um livro inteiro com a mais linda historia do mundo sem ter uma palavra escrita.

Você sabe o Significado das Cores?


O Texto a seguir foi retirado quase todo Daqui


O preto permite a auto-análise, a introspecção, pode significar também dignidade, está associado ao mistério.

O branco remete a paz, sinceridade, pureza, verdade, inocência, calma.

O verde simboliza esperança, perseverança, calma, vigor e juventude.

O vermelho ativa e estimula, significa elegância, paixão, conquista, requinte e liderança.

A cor amarela desperta, traz leveza, descontração, otimismo. Simboliza criatividade, juventude e alegria.

A cor azul produz segurança, compreensão. Propicia saúde emocional e simboliza lealdade, confiança e tranqüilidade.

O laranja além de significar movimento, espontaneidade, tolerância, gentileza, é uma cor estimulante.

O cinza promove equilíbrio e estabilidade.

O rosa significa romance, sensualidade, beleza.

A cor violeta significa sinceridade, dignidade, prosperidade, respeito.

O marrom associa-se a estabilidade, constância, significa responsabilidade e maturidade.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Acrescento alguns pontos que são meus e vistos inicialmente pela física das coisas.
Acho qu
e todo mundo que passou pela escola fez aquela experiência de um "pião" de papel com todas as 7 cores do arco-iris e gira-lo rápido. O que acontece? Se torna branco.
Logo, podemos dizer que Branco são todas as cores juntas. o Branco é o Completo, o tudo, o fim.

Também, por acossiação e pelo que aprendemos na escola, o Preto é o oposto. É o nada, a ausencia. Podemos concluir então que é o começo.

E Cinza, seria o nada com o tudo. A mistura do começo com o fim. É o agora.
Se levarmos em conta que Branco e Preto num geral são considerados o bem e o mal , e que todos nós também sabemos que um não existe isoladamente em alguém, sempre existem os dois, a outra conclusão é que a vida, as situações, as pessoas, tudo é Cinza.


Reflita um pouco. Com certeza você tem uma ou mais cores favoritas. Já pensou no que isso pode significar?


Outros significados vocês podem ler aqui e Aqui.

Lacuna Coil - I Like It

Lacuna Coil - I won´t tell you

Terça Insana


Solteirões, já sabem com quem reclamar. Eu que o dia, não pelo agora, mas pelo ontem uu' FDP.


Scarleeeet...Sei que você é espanhola ^~ Não adianta ter nascido na inglaterra queridinha(A)


Mas entons Miss Crossheart HOHO Eles voltaram...


Já sabemos a quem culpar também! Sophie, vai falar com ela (e com sorte ela te manda pra socia dela...)

Koda Kumi - Juicy

Koda Kumi - Ningyo Hime

Koda Kumi - Selfish

quarta-feira, 16 de junho de 2010

AAAAH, os olhinhos fechados...

N. M: O que você tá fazendo?
Nihon: Msn e ouvindo música só xD
N. M: Temos coisas em comum
Nihon: é um bom começo [?????]
N. M: nem tanto, o q eu qria ta fazendo eu não posso (nao tenho boa mao nem boa companhia uu')
Nihon: o que você queria tar fazendo? o.o
N. M: (*Quase morrendo na frente do pc de tanto rir*) Nada não....


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Santa inocência Batman!XD
N. M Obs: Hoje descobri que tenho quase um dom com crianças... PB deve estar orgulhoso de sua seguidora!(A)

terça-feira, 15 de junho de 2010

Koda Kumi - TABOO

Bom dia Flor do Dia!~ I´m Back for a little ^~


Acho que o título faz com que explicações sejam desnecessárias.
Kate nasceu Muito bom muito bom...Mas acho que isso não será o bastante. Né, mon Petit Prince?~ Não me perguntem da não comida, eu não sei e definitivamente prefiro não saber. Quanto a mim...Casa vazia...princesinha de neve dormindo, Alice colocando em pratica o que aprendeu comigo(quanto orgulho!snnnnif!) bom, que fazer? hmm....Kate precisa de treinamento...hmmm KELPIEEEEEEEEEEEEEEEE S2~Onde você estáaaaaaa?*pisca* HOHOHO Já tem o Malfoy na jogada.....Mas se deixar nas mãos dele eu vou ter que fazer trabalho triplo, desensinar o que ele ensinou, ensinar direito a ela, e ensinar direito a ele! uu'

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Ignorem, ela só queria mostrar que ta acordada, e bem acordada diga-se de passagem XD

sábado, 5 de junho de 2010

The Castle XIII

Brigamos mais uma vez.
Finalmente contei tudo que me entalava a garganta.
Você finalmente teve sua oportunidade de se defender.
Poderia ser considerado um fim, se não fosse pelo fato de que continua a não acreditar em nenhuma de suas palavras - e mesmo que eu acreditasse, ser trocada pela "opção mais cômoda" não é exatalmente algo que deixe alguém feliz.
Não me importa mais.
Estou cansada disso tudo. Sempre quis uma historia pra minha vida, mas nunca um drama. Queria uma boa comedia nerd como The Big Bang Theory.
Não me importa mais nada. Desistir. Só existe seriado se todos os atores concordarem em atuar. Se quiser alguém para um drama, procure outra pessoa.
Eu estou fora.
Sim, pode considerar que estou jogando a toalha.
A rosa morreu, mas você diz que não é a mesma coisa ir atrás de outra. Enfim uma grande resposta.
Mas para não deixa-la muito mal, serei uma nova rosa. De pétalas de papel pintadas com as mais belas cores que sua imaginação pode conseguir.

Nickelback - Too Bad


It's too bad, it's stupid,
Too late, so wrong, so long
It's too bad we had no time to rewind
Let's walk, let's talk
Let's talk

You left without saying goodbye,
Although I'm sure you tried
You call the house from time to time
To make sure we're alive
But you weren't there
Right when I needed you the most
And now I dream about it...
And how it's so bad, it's so bad

It's too bad, it's stupid,
Too late, so wrong, so long
It's too bad we had no time to rewind
Let's walk, let's talk

domingo, 30 de maio de 2010

Lacuna Coil - Underdog




Essa é pra você. Sua P*!¬¬' E para todos da sua corja!
Eu juro, pensei muito em abandonar tudo por me sentir assim. Nunca imaginei que estaria tão certa em ir embora!

The Castle XII


Eu te odeio! Eu te odeio com TODAS AS MINHAS FORÇAS!

Eu quero muito, mais que muito vê-la sofrer. Por ser falsa. Por ser duas caras.

Por pior que seja a verdade, jogue-a na minha cara, eu prefiro! É o mínimo que eu peço para aqueles que se atrevem a cruzar os muros do meu castelo.

Eu posso mentir enquanto eu estiver no meu território. Agora você não! Se veio, veio porque quis, então tenha ao menos a decência de dizer a verdade!

Ainda por cima, sei que me olharas e com a maior cara de inocência perguntarás o por quê de minha revolta. Hipócrita.

Diz-me uma coisa, e fazes outra. Sempre tive certeza disso bem no fundo de mim, mas hoje pude comprovar isso.

Odeio-te com todas as minhas forças!

Em meu castelo, não entrarás mais! Meu guarda-chuva que te entreguei a tempos atrás para se proteger da tempestade, pode ficar. É teu agora.

Nada que tenha passado por suas mãos imundas eu quero!

Quero apenas ter a oportunidade sádica de vê-la sofrer mais uma vez. É meu ultimo desejo vindo de ti, odiada intrusa!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

The Blood of Cu Chulainn



Sei bem que esta musica foi feita para ser nostalgica. Mas nenhuma musica desse tipo antes conseguiu fazer o que essa faz. Um aparto no peito, uma imagem de um lugar que eu nunca estive (ou ao menos não nesta vida), uma vontade enorme de correr e de arrastar todos os que me cativam comigo. Um lugar onde os meus muros não existem, nem meus espinhos e máscaras.
Por tal motivo compartilho essa musica com vocês agora.
Sei de pelo menos uma pessoa que vai surtar MWHAHAHAH /apanha ta, parei uu'

Explicações desnecessárias.

As pessoas tem um péssimo habito de quererem ser donas de alguém. De um ou de muitos. Donas da atenção, do corpo, da mente e até da alma.

Isso é um erro grave. Todos foram criados para estar no mesmo patamar de liberdade. Em teoria, nascemos iguais, logo, crescemos sem o direito de acharmos superiores aos outros.

Voltando ao assunto principal e não abolicionista (sim, a parte anterior me deixou na duvida se seguiriam meus pensamentos mortais.). É um desejo comum. Por solidão, por gostar de ser o centro das atenção, por gostar de ter o poder, por estar amando demasiadamente alguém e etc. Não importa o motivo, num geral todos gostam da sensação de serem donos de algo. Isso não é só um erro como uma ilusão terrível.

Nunca terá um humano que poderá ler a mente dos outros, e se o fizer será muito mal educado. Nossa mente e alma são livres para irem a onde quiserem, como pássaros. As vezes na mesma área, as vezes vôos que cruzam oceanos.

O texto anterior descreveu bem a relação atual que temos. Não somos mais capazes de cativar ninguém, ao ponto de chegarmos ao cumulo de no mesmo dia já falarmos que alguém é nosso “amigo”.

Amigo, para mim, é uma palavra muito, mas MUITO forte, alguém que te cativas, que te tem sem te obrigar a nada, alguém que você não vai morrer por, mas vai lutar até os últimos segundos de vida para ajudar, por mais insignificante que essa ajuda seja. Alguém que você tem total certeza que também fará o mesmo por ti mesmo que você não pense nisso e não queira isso.

Por isso eu alego que não tenho amigos.

Não por ser arrogante, hipócrita ou falsa. Eu quero ter amigos, mas depois de tantas furadas em que já me meti por “amigos”, o medo de confiar se tornou mais forte, motivo pelo qual criei os muros de meu castelo e deixei crescer os mais afiados espinhos em mim.

E ainda assim, depois de tudo isso, algumas pessoas conseguiram. Cativaram-me. Me deixam em liberdade mas eu volto porque gosto de suas companhias. Sinto saudades. Olho pra algo e me lembro deles.

Ainda tenho medo e por isso digo que não confio (e sempre vai ter um pequeno pedaço de mim, nascido dessas desilusões para me alertar da possibilidade contraria.)

Ainda assim, cativaram-me. Leo, Phil, Kino e Blume.

E agora, parece que alguns tentam fazer o mesmo mas de forma despretensiosa. Não me querem perto mas me querem. Gostam da minha companhia mas não me querem numa coleira de aparências.

Por estas pessoas que eu tive medo de largar tudo. E por estas pessoas que agora largo tudo.

Se as tenho, na minha partida saberei, pois acabarei não indo sozinha. Se eu for, é porque nunca as cativei de verdade.

Uma breve explicação porque sou o que sou, porque digo o que digo e porque estou – neste momento – fazendo o que estou fazendo. E infelizmente sei que para quem serve estas palavras não devem ler.

Paciência também é uma virtude daqueles que querem construir pontes.

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas

Algum tempo não venho aqui e derramo deliberadamente meus pensamentos em forma de "contos".
Pois bem, não o tenho feito por não ter nada de "novo" ocorrido nesse período que se passou. Mas creio que agora também não seja nada nova, apenas encontrei algo para postar.
Explicarei rapidamente porque nada de novo.
Toda historia tem um fim. Para uns, pode ser bom, para outros nem tanto. E qualquer fim de uma historia na qual nos apegamos é ruim, dói, não queremos que acabe mas sabemos que se continuasse não daria certo. Pois bem. é isso. Uma historia terminou a algum tempo, e eu inutilmente tentei prolonga-la por mais tempo e acabou sendo um desastre.
Erro meu. Teria sido tudo muito mais lindo, mas eu errei em varios pontos como sempre e acabou desse jeito.

E isso não é novo. Não porque acabou antes e eu não notei. Não porque já aconteceu antes e eu ainda assim não notei dessa vez.

Alias, ouso dizer que eu percebi sim. Por medo eu não entendi muito bem o fim, não queria me afastar deles. Mas já era o fim e eu não vi.

A seguir exponho um dos motivos pelo meu medo e minha retirada. No próximo poste, tentarei expor isso da forma que estou mais acostumada. The Castle.



"E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho que se voltou mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? perguntou o principezinho.
Tu és bem bonita.
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o princípe, estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa.
Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- O que quer dizer cativar ?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro amigos, disse. Que quer dizer cativar?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa.
Significa criar laços...
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos.
E eu não tenho necessidade de ti.
E tu não tens necessidade de mim.
Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo...
Mas a raposa voltou a sua idéia:
- Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música.
E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento do trigo...
A raposa então calou-se e considerou muito tempo o príncipe:
- Por favor, cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principe, mas eu não tenho tempo. Tenho amigos a descobrir e mundos a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não tem tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres uma amiga, cativa-me!
Os homens esqueceram a verdade, disse a raposa.
Mas tu não a deves esquecer.
Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"

(Saint-Exupéry ,Antoine de – Le Petit Prince.)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

My Baby




Como prometi, umas fotos do meu pequeno! S2

quinta-feira, 22 de abril de 2010

SOCORRO!

A QUALQUER UM QUE POSSA! ME TIRE DESTE MALDITO ONIBUS! ELA ENTROU E EU NÃO PULEI FORA QUANDO TIVE TEMPO!
não me sinto bem, meu corpo não está bem e minha mente está pior ainda.
Um poster colado na parede não é nada, é so uma foto...O problema é a maldita passageira do Caxias!
SOMEBODY HELP ME!

Gaia´s Day (?)

Antes que eu esqueça de postar...Hoje é o dia da terra, a quem devemos tudo e não agradecemos nada! Nem ao menos cuidamos.
Tudo bem, logo ela se recupera, quando se livrar de nós ela ficará muito bem!*_*

A todos, desculpe algo tão pequeno, mas não estou bem.

Nasceu!


Não sei desde quando quero isso, mais de uma década, com certeza...E também não duvidaria nada que desejo isso desde que me entendo por gente.

Mas finalmente o dia chegou.

Hoje acordei determinada a gastar o quanto fosse para meu filho vir ao mundo, e eu rodaria o dia inteiro se precisasse para encontra-lo.

Andei bastante, mas não cheguei a me cansar (apesar dos avós dele já estarem mortos antes mesmo de busca-lo na loja) e o encontrei. Nunca pensei que meu segundo seria logo de um Luthier, mas fico feliz.

Hoje chega em minha casa, meu sonho. Para vocês que lêem pode até ser uma coisa boba, “é apenas um violino”...Mas para mim é um verdadeiro sonho!

Logo tentarei trazer uma foto de meus filhos para cá.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

The Mirrors I



Era um quarto grande e vazio, de objetos ali só existiam três espelhos grandes, um pouco maiores que portas em tripés espalhados pela sala a formar um triangulo.

Não perco tempo, jogo uma manta negra e pesada em casa um dos espelhos que formariam a base – que ficam na lateral da porta pra quem entra – e caio de joelhos na frente do ultimo, que fica bem na cara da entrada.

Meu reflexo não é o meu. Um físico totalmente diferente, uma menina oriental de longos cabelos negros e expressão angelical. Nossos movimentos algumas vezes (ou muitas) são exatamente iguais.

Assim como eu, ela esta triste, ajoelhada no chão e de cabeça baixa.

-O que sou eu?

-Você é real?

-Elas....São reais?
-Você realmente sou eu?

-Por que eu sou assim?

-Elas....São realmente parte de mim, ou meramente são janelas que aceitei de bom grado vindo de pessoas que eu não gosto?

Foi uma ping pong curto de perguntas. Parecia que uma não ouvia a outra mas na verdade as perguntas se complementavam.

Eu preciso descobrir...Se elas são parte de mim, de verdade, e com isso tudo que eu vejo não passam de fantasmas que eu criei por tamanho medo que tenho daquelas pessoas. Ou se eu imagino isso, se imagino as nossas semelhanças exatamente para negar que elas não são parte de mim!

-Você não sabe...Não é mesmo? Você sou eu...E tudo que você sabe é aquilo que eu sei...

-“Então vai ser uma homenagem a você!”

-CHEGA!

Dói lembrar aquilo e me deixa mais confusa...

-Foi mentira...Não foi? Ela indaga num tom baixo e triste, de quem precisa dessa resposta rápido.

Eu não sei... Por um lado, eu já tinha aquela historia feita... Meu pequeno anjo perdido já estava sendo feito e eu precisava da companhia daquela pessoa para dar andamento a historia... Por serem parecidas, eu disse aquilo. Eu não conseguia fazer nada por mim mesma, eu acho...

-E agora consegue?

Pensando bem, mas uma vez não sei.

Eu não consigo esquecer, não consigo me perdoar... Jogo a culpa para o meu “não-saber” mas, será que realmente é só porque não sei?

Eu preciso de ajuda...Me sinto travada, com medo, tudo que eu olho eu lembro de uma dos dois e fico com medo de estar gostando delas porque me lembram aqueles dois infelizes!

Tento me iludir falando que é apenas trauma... Não sei o que fazer, não sei o que selecionar para jogar fora e o que é para ficar, o que precisa e o que não precisa de uma limpeza.

-É por isso que está tão quieta?

A resposta foi uma afirmativa com a cabeça, em silêncio.

-Você sou eu... Acho que é a única afirmativa de hoje...

-Elas são você também... Né? A menina tenta dar um sorriso, mas estava triste e confusa demais para ser espontânea agora.

Olho pros lados e vejo os dois espelhos cobertos. Suspiro profundamente e fecho os olhos.

Mais lagrimas.

-Eu não sei de nada.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Dreamcatcher



Music Dolls - Chapter 01: Dreamcatcher


Cheiro de flores. Inúmeras. Algumas que nem ele mesmo conhecia, e outras já bem familiares ao seu olfato, como as sempre lindas e elegantes rosas, as divertidas margaridas e girassóis, jasmins, camélias e etc.

Escuridão, aos poucos ia abrindo os olhos e se encontrando em um lugar totalmente desconhecido, mas estranhamente confortável para o rapaz. O sua vista era de um ponto baixo, o que logo notou ser por conta de sua queda ou qualquer coisa do gênero. Estava deitado no chão e realmente não sabia como aquilo aconteceu.
Levantou-se e girou lentamente em torno do próprio eixo. Buscava inutilmen
te reconhecer o local, captando cada detalhe das paredes de pedra cuidadosamente esculpidas e do vasto jardim, sabia que o era mesmo que na escuridão desse para ver apenas as plantas mais próximas do corredor coberto onde estava. Iluminação precária, não conseguia nem ver além do pedaço de corredor em que estava, nem para trás nem para frente. Nenhuma porta nesse trecho.
Parara por um momento. O som de seus sapatos... Não são os seus sapatos, o som era diferente, alias, até se sentia mais alto. Olhara para os pés e os via calçados em um sapato novo como só os ricos tinham dinheiro para ter. Reparara também que suas calças eram diferentes, novas, bem engomadas e igualmente luxuosa.
Procurou uma janela, com a escuridão que estava, as poucas velas que estavam no chão de mármore italiano causariam um efeito de espelho aos vidros.
Olhou-se e logo teve uma grande surpresa ao ver como estava. Era um sonho, só podia! Estava tão elegante quanto um nobre! Piscou os olhos algumas vezes, para confirmar o que via no reflexo do espelho, seu sorriso bobo só aumentava a cada vez que se via. Voltou a olhar em volta mais feliz, sua curiosidade aumentava e queria saber o que havia se passado, como tinha chegado ali e quem fora a boa alma que lhe dera ao pelo menos emprestara aquelas roupas tão caras.

Mais passos, cada vez mais próximos. Correu em direção aos mesmo e só teve tempo de ver a barra de um vestido branco bem rendado se arrastar calmamente para dentro de um salão solitário no meio do jardim. Não conseguia ver muito, as luzes do salão ainda estavam sendo acesas, vela por vela, isso somado ao fato da dona do vestido parecia sempre saber como se esconder das grandes janelas que aquela construção extra possuía.


Caminhou em meio a escuridão, lentamente para não tropeçar ou então ferir uma das belas plantas que ali existiam. Ao tocar novamente o chão de mármore já podi
a ouvir o som de um violino. Seu sorriso aos poucos morria com o choro do instrumento. Aproximou-se da entrada e viu uma bela menina a tocar de costas para a grande porta. Seu vestido deixava os ombros e os braços a mostra, a pele alva e delicada o atraiu por uns instantes. Vestido muito delicado, alças completamente de renda que seguravam pelo lado, um espartilho branco com pequenos detalhes em fio de prata e uma saia longa um pouco rodada, tendo como camada mais externa apenas um tecido de renda bem fino. Era como se visse uma boneca de porcelana criando vida e chorando por ser o que era. Balançou a cabeça, da onde tinha tirado aquela comparação? De qualquer forma não conseguia evitar tal pensamento ao observar a violinista tocando.
Cabelos de um ruivo acastanhado, claro e que a faziam única. Presos por uma trança frouxa, varias mexas caiam pelos lados do delicado rosto de menina que ela tinha.

Uma dor no coração. A musica havia parado e a jovem se virado para encarar o intruso e ele nem ao menos reparara. Seus olhos se cruzaram. As esmeraldas frias e tristes dela com os aconchegantes olhos castanhos do rapaz. Uma lagrima escorreu pelo rosto
dos dois e eles não percebiam.
-Erin....- Uma voz doce... ... seguida de um trovão e um tranco que a carruagem deu. Acordou assustado e olhou em volta. Tinha razão, era tudo um sonho! Irritou-se ao ver que ainda estava com as vestes simples de um musico iniciante e seu irmão mais velho a dormir na sua frente, ainda dentro de uma pequena carruagem. A noite ia alta, a chuva continuava a castigar e pelo jeito iria demorar ainda mais para os dois chegarem ao local de destino.
Fitou o irmão dormindo na cadeira da frente. Impressionante como aquele ser conseguia dormir em qualquer canto e de qualquer forma! Um rapaz que lembrava o musico, só que mais alto e de um corpo mais bem farto e menos definido.
Roncava. Como conseguiu dormir de chegar a sonhar com alguém roncando desse jeito?
Puxou ar até encher plenamente os pulmões e tocou o tampo de sua maleta. Sua paixão estava ali dentro.

Poderiam ser consideradas aquelas caricias quase indecentes pela forma com que ele ficava ao faze-lo se não fosse o fato de que o jovem moreno acariciava uma humilde caixa de madeira, mas seu amor pelo instrumente que ficava guardado dentro era tamanho, que muitos poderiam pensar que ele preferia continuar aquele ritual que o hipnotizava a fazer o mesmo com uma bela jovem! Aquelas caricias o acalmavam quanto ao fato de ter acordado tão cedo do sonho. Aos poucos, animava-se novamente. Chuva e uma nova oportunidade, não podia ficar tão mal apenas por conta de um sonho – mesmo que esse fosse extremamente real.

A ansiedade voltou. Seu amor pela musica e talento conseguiram arrumar uma passagem de ida para Londres!

Perto da realeza, no coração da Inglaterra! Bem... Talvez não tão no coração. Na verdade sua carruagem ia para uma cidadezinha bem próxima. Pequena em população, gigante em riqueza! Um lugar tão pequeno conseguira juntar muitos nobres, era mais um Resort do rei.

Mesmo muitos nobres, ainda existia pessoas miseráveis, assim como sua família. Condução luxuosa, mas com um destino não tão luxuoso assim. Por motivo de medo, preferia passar os primeiro dias na casa dos parentes – não eram bem parentes, eram os “contatos” de seu irmão mais velho, que acabaram por conseguir esse trabalho para ele. –, ir direto morar com o Duque de Berni parecia uma idéia que o incomodava. Era educado mas mesmo assim tinha medo de cometer muitas falhas... Preferia ir se acostumando aos poucos.


Musica da chuva que aos poucos suavisava-se de trovões... Chacoalhar da carruagem que ia lentamente para não ter problemas com a lama do caminho acabava se tornando quase um embalar da natureza para que o cansado rapaz voltasse a dormir.
Ao perceber o que aquele espetáculo que estranhamente adorava estava pretendendo, sorriu de canto, talvez conseguisse retomar o sonho de onde parou e assim, saber quem era a tão encantadora violinista.
Os topázios marrom-claro que o rapaz tinha como olhos são lentamente escondidos por suas pálpebras. Coincidentemente quando o veiculo passa por um buraco um movimento do rapaz é feito e acaba se tornando um tanto bruto demais para um corpo tão esguio e aparentemente delicado. Tinha intenção de se acomodar no lugar, que era tão pequeno que ele precisaria dar uma de contorcionista para conseguir dormir sem ter que abandonar seu amado violino.

Para época, ele já era considerado um homem com seus recém completos 18 anos. Era para ter maturidade mas continuava a agir como um menino, ansioso para voltar a dormir e reencontrar alguém que só existia em seus sonhos.

De olhos abertos observou a chuva por mais um tempo, imaginando que se não passassem por mais nenhum buraco fundo, ela o fizesse dormir.


Ao longe, uma mansão, quase um castelo era iluminado por um raio. Piscou os olhos varias vezes ao ver que além da grande casa principal existia também uma construção menor, que deveria ser apenas um salão. Era muito parecido com o seu sonho. Pode sentir o cheiro das flores se misturarem com o da terra molhada e aquela musica de violino. Tinha que descobrir o nome daquela musica, tinha que descobrir de quem era aquela morada!
Estava tão animado com as novas perguntas, que nem percebeu que seus olhos já fecharam e que tudo que via agora era meramente uma cena que suas pupilas gravaram.

Adormeceu.


______________________________________________

~~Aviso~~

Music Dolls é uma historia minha, criada 100% da minha cabeça fraca. Por favor, se tem algum amor pelas coisas que cria, NÃO COPIE os meus textos! São importantes para mim, são parte de mim, então não o faça!

A todos os que leram, obrigada. Em breve tentarei dar continuidade a historia.